Cajuína

22/08/2012 às 3:33 | Publicado em Artigos e textos, Midiateca, Zuniversitas | 3 Comentários
Tags:

Mais uma do site Papo de Homem, é para pensar e repensar a vida… Para que tanta preocupação se somos apenas uma breve ‘dust in the wind’ ?


CAJUÍNA

DUST IN THE WIND

CAJUÍNA

Posted: 02 Jul 2012 08:05 PM PDT

Você tem medo de morrer? Por quê? Que diferença faz?

* * *

Quando eu dava aulas na universidade e meus alunos começavam a surtar antes da prova final, eu dizia algo mais ou menos assim:

Pensem comigo. Somos todos primatas sem alma, vivendo vidas sem sentido, presos na superfície de uma bola de pedra girando em torno de si mesma e se deslocando em círculos pelo vazio do espaço, destinados a morrer em breve, junto com todos nossos entes queridos, assim como nossos países, nossas culturas e nossos idiomas, que vão desaparecer também, aquecidos por um sol que logo se auto-destruirá, levando com ele tudo o que já conhecemos. Então, sinceramente, no grande esquema das coisas, que importância pode ter essa prova?

Link YouTube | A que será que se destina?

* * *

Aí, alguém pergunta:

Então, você está vivo pra quê?

Pra nada, ué. Pra absolutamente nada. Tem que estar vivo pra alguma coisa?

Puxa, ninguém nunca me avisou… E agora?

A pessoa insiste:

Qual é o sentido da sua vida, então?

Nenhum, ué. A vida tem que ter sentido?

Ninguém me avisou também! Porra, ninguém me avisa nada!

Mas ó. Vou te dizer. Tenho vivido minha vida a esmo, sem objetivo e sem sentido, e ela tem sido muito boa, viu?

Não fez falta nenhuma até agora.

levantar da rede? é ruim, hein!

* * *

Aí, alguém desafia:

Então, por que você não se mata?

É como se eu estivesse gostosamente me balançando na rede e alguém perguntasse:

Se você sabe que vai ter que levantar daí inevitavelmente, por que não se levanta agora?

Ué, que pergunta louca.

Não levanto porque estou bem aqui me balançando. Não me mato porque estou bem aqui vivo.

Quando chegar a hora de levantar, eu levanto. Quando chegar a hora de morrer, eu morro.

* * *

No meu texto Sou ateu porque preciso, um leitor perguntou:

Como alguém, um ser humano, consegue suportar a ideia de que, a qualquer sopro malfadado do destino, pode morrer e simplesmente sumir? Nunca mais sentir, amar, sorrir, brigar, pensar, EXISTIR? … Para a minha pobre consciência simplesmente e inadmissível deixar de existir.

Se tudo acaba, se até mesmo o sol vai acabar, por que seria justamente eu a não acabar? Por que eu seria tão importante assim? Aliás, por que a questão da minha existência seria minimamente importante? Por que eu deixar de existir é mais ou menos dramático do que um coelho deixar de existir?

Passei a existir no momento no tempo que convencionamos chamar de 1974 mas, antes disso, eu não-existi por um período literalmente infinito. E não foi ruim. Não doeu. Não foi desagradável.

Muito em breve, voltarei a não-existir por um período infinito de tempo. Se não era ruim antes, por que seria ruim depois? Por que ter medo de voltar a um estado que já experimentei e que não foi ruim?

Na verdade, considerando o tempo que passamos existindo e o tempo que passamos não-existindo, nosso estado natural é a não-existência.

Existir seria apenas um breve soluço, um glitch, um bug, dentro de uma perfeita, plena e eterna condição de não-existir.

Somos todos seres inexistentes que, por um acaso, existem.

Mas não por muito tempo.

* * *

Um dos meus textos mais famosos sobre esse assunto, Pessoas-que-acreditam-em-coisas, faz parte do meu livro Liberal Libertário Libertino, à venda aqui no PapodeHomem por R$20. Recomendo.

Link YouTube | Pó ao vento

Anúncios

3 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Triste esse pensamento Mecanico e cartesiano sobre a existência como um todo. A perfeita simetria e harmonia do universo demonstra claramente que existe um principio inteligente orquestrando a vida e a morte, ambas sendo faces de uma mesma moeda. E um infeliz destes, criado pelo mesmo principio inteligente, possuidor das mesmas características de um Einstein ou um hawking, falando uma bosta dessa! É de lascar!

    Enviado via iPhone

  2. Meu querido amigo Matu,
    Você é uma das pessoas mais espiritualizadas que conheço, um dos mais solidários, um dos mais amigos, apesar de novo tem muita sensibilidade para com o semelhante, sensibilidade social também, inteligência não lhe falta.
    Mas, me permita um ‘senão’pelo menos pela minha idade, precisa reconhecer as diferenças. Tudo que o autor coloca é simplesmente lógico, científico (ou pelo menos para o que se conhece hoje da ciência). E a vida é lógica ? Também não, ou pelo menos não é integralmente lógica.
    Não fique nem triste nem revoltado.
    E para isso é simples: procure enxergar a alteridade, o outro, ou o outro pensamento possível (errado ? sei não, talvez …).
    Apesar do perigo que corro com estes posts vou continuar nessa linha porque esse é exatamente o propósito deste blog: provocar o pensamento e o debate de idéias !

    abração,

    José Rosa.

  3. Mais um ‘raciocínio atravessado’: me tirando desse grupo a que vou me referir a seguir no pensamento ! Não seria paradoxalmente muito mais ‘cristão’ o ateu que pensa e sobretudo FAZ coisas boas durante a sua vida na Terra (digo a existência material que essa não há dúvidas) do que os crentes (lato sensu) que creem e nada fazem, ou até pior, creem e fazem as guerras em nome muitas vezes de Deus, inúmeras elas como constatamos século seguido de século ?

    abs,


Comentários são livres, só não aceito nem publico xingamentos !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: