Pedófobos ?

10/09/2016 às 3:58 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | 1 Comentário
Tags: ,

Muito bom esse artigo. Vi no blog do amigo José Luis (jlcarneiro.com). Vale a reflexão !

ponto-de-interrogacao-branco-sobre-um-fundo-preto-circular_318-35996


Por que pisamos em ovos com nossos filhos

francisco_daudt.pngVejo crianças fazendo manha, gritando em restaurantes, se jogando no chão, esperneando no shopping quando contrariadas, desrespeitando professores, sendo insuportáveis…

Por que essas coisas se tornaram cada vez mais comuns, e por que eram tão raras quando eu fui criança? Lembro-me de minha mãe dizendo para meu irmão, que a olhava furibundo depois de um merecido – e literal – puxão de orelha: Você pensa que me mete medo com esses olhos?

E não metia mesmo. Ao contrário de muitos pais da atualidade, ela não tinha medo de criança, ela não sofria de pedofobia.

Essas palavras que terminam em fobia passaram a ser entendidas mais recentemente como “ter-se ódio a”, como em “homofobia”, mas o sentido original é “medo de”. No entanto, o medo e o ódio não andam distantes quando o assunto é a homofobia, ou a pedofobia.

Supostamente, somos mais fortes que uma criança, sempre o fomos. O que as tornou tão poderosas ao ponto de temê-las, de nos sentirmos impotentes para o exercício da autoridade tão necessária para prepará-las para a vida?

Há vários fenômenos confluentes para esse resultado, mas ele resulta de duas mudanças básicas: a maneira como vemos as crianças e a maneira como vemos a autoridade.

A concepção do que é uma criança mudou drasticamente nos últimos trezentos anos: de objeto da propriedade dos pais, podendo ser vendida ou morta sem consequências legais, até virar um bibelô, coitadista, frágil, traumatizável, tutelada por leis e estatutos protecionistas, que deve ser alvo de um amor incondicional beirando a subserviência, para quem os pais devem dar “tempo de qualidade”, já que não devotam todas as horas de sua vida (“como deveriam”), e diante de quem é dever moral de quaisquer pais minimamente educados se sentir culpadíssimos por tudo o que erram em sua criação (e eles “erram muito”, espere até seu filho crescer e ir a um psicanalista para você ver a desgraça que fez nele).

Ou seja, as crianças passaram de moscas mortas a monstros poderosos diante de quem os pais morrem de medo.

Nenhuma surpresa, pois o movimento mais comum da humanidade é o pêndulo da formação reativa: ficamos com horror das barbáries cometidas contra as crianças no passado, e por isso exageramos para o lado oposto, passamos a mimá-las como se fossem quebrar com um espirro.

Antes eram invisíveis; agora damos-lhes toneladas de atenção, até a brincar com elas nos impomos! Antes éramos tiranos; agora as tiranas são elas, nós lhes passamos o bastão.

É quando o medo desperta o ódio: os filhos gritam e a gente fica de saco cheio. Mas odiá-los é tabu impensável, pior que incesto, por isso nós o reprimimos, e em seu lugar surge a bondade reativa: Meu amor, mamãe vai te explicar que gritar não é bonito. Mais gritos; mais “bondade”.

Pais bonzinhos podem ferrar a vida de seus filhos por falta de autoridade.

Autoridade: depois de anos de ditadura, passamos a confundir autoridade (a condução de quem sabe mais) com autoritarismo (imposição pela força), e com isso, perdoem a metáfora, jogamos o bebê fora junto com a água do banho.

* Francisco Daudt é médico e psicanalista. Escreve uma coluna quinzenal para o jornal Folha de São Paulo.

FONTE:  http://www.jlcarneiro.com/voce-e-pedofobo/

Anúncios

1 Comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. […] Fonte: Pedófobos ? | ZÉducando […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: