“De que planeta viene Garrincha?”

27/01/2017 às 17:46 | Publicado em Artigos e textos | Deixe um comentário
Tags: , ,

Uma singela homenagem ao segundo maior jogador de todos os tempos (para mim bem perto do primeiro): Garrincha, o anjo das pernas tortas !

Garrincha2                                        garrincha-


Mané Garrincha – alegria do povo

Dia 20 de janeiro de 1983, há 34 anos, o Brasil perdia um dos maiores gênios e talvez o mais amado jogador da História do nosso futebol. Mané Garrincha. O anjo das pernas tortas, alegria do povo, foram tantos apelidos carinhosos. Na Copa de 1958, na primeira conquista do futebol brasileiro, ele foi importante para a seleção, embora tivesse entrado somente no terceiro jogo contra a União Soviética.

Mas foi na Copa de 1962, no Chile, que o camisa 7 da seleção se consagrou. Fez gols de todo jeito. Na conquista do bicampeonato mundial, Garrincha jogou por ele e por Pelé, foi aclamado rei. A manchete do jornal chileno El Mercúrio estampava a seguinte pergunta: “De que planeta viene Garrincha?”. Na semifinal contra o Chile, cansado de apanhar do lateral chileno Rojas, Garrincha levantou-se do chão e foi pra cima do seu marcador, que ficou assustado com a reação do brasileiro e tentou fugir. Garrincha acertou um chute no traseiro do chileno e foi expulso. Era a primeira e única vez que saia de campo dessa forma.

O Brasil estava na final, jogaria contra a forte equipe da Tcheco-Eslováquia. Os dirigentes estavam apreensivos, a torcida temerosa, mas nos bastidores Mané foi perdoado pelo tribunal da FIFA e poderia jogar a partida final. A seleção brasileira venceu a final por 3×1, Garrincha jogou com 39 graus de febre. Mané não fez gol na final, mas participou de 70% dos gols da seleção brasileira e terminou a copa do mundo como um dos seus artilheiros.

Garrincha era tão apaixonado pelo seu clube, Botafogo do Rio de Janeiro, que muitas vezes aceitou tomar infiltrações e adiar a operação do joelho, que o afastou dos campos em 1964. Jogava mesmo com dores. No fim da carreira foi vendido para o Corinthians, sem seu consentimento. Ao ouvir a noticia de que não era mais jogador do clube carioca, Garrincha não se conteve e chorou muito. A partir daí, o que se viu foi o fim dramático da Alegria do Povo. Mané disputou 60 partidas pela seleção, marcou 17 gols, fez maravilhosos dribles.

(Anderson Rios, Professor da UFBA)

FONTE: Jornal A TARDE, Salvador-BA, hoje.

Anúncios

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: