F*DEU GERAL

31/08/2019 às 2:55 | Publicado em Baú de livros, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Assim como o outro livro dele que li, A SUTIL ARTE DE LIGAR O F*DA-SE, esse também é muito bom. Recomendo porque nenhum ser humano está livre do que ele chama de “a Verdade Desconfortável” (e inescapável !). De forma semelhante ao primeiro livro, o último capítulo deste foi o melhor: “A religião final”. Ali o autor disseca a singularidade da Inteligência Artificial (IA) e como estaremos inescapavelmente sujeitos a essa tecnologia, que na verdade é bem mais que uma simples (?) tecnologia ou moda, é todo um mundo novo, uma vida nova para todos os seres humanos.


Anúncios

Passividade

30/08/2019 às 3:28 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: ,

Esse texto, de autoria de Paulo Muzell, me foi enviado por e-mail por Luiz Henrique Pantaleão, meu grande amigo Panta, dos velhos tempos de ECT. Traz um bom resumo dos tempos nebulosos atuais.


PASSIVIDADE

A gente sabia que num país de enormes desigualdades, com baixo nível de renda e de escolaridade, a consolidação de uma sólida consciência cidadã sempre foi algo remoto, distante. A história não deixa nenhuma dúvida sobre a fragilidade da nossa democracia, cujos direitos e a propalada igualdade são meras formalidades.
O que a gente – eu, pelo menos – não imaginava é que uma parcela representativa das nossas classes médias fosse tão estúpida e reacionária a ponto de odiar os desvalidos, os negros, os LGBT, os índios e incapaz de reconhecer e até ser contrária aos avanços ocorridos no longo ciclo dos governos petistas nas áreas da educação, saúde, assistência social, além do expressivo aumento do poder de compra do salário mínimo.
Uma burlesca farsa comandada por uma grande mídia canalha associada com instituições apequenadas – judiciário, congresso, STF, MPF – mandaletes de uma oligarquia atrasada, derrubaram uma presidenta honesta, legitimamente eleita, um pouco inábil e desastrada, é verdade, colocando em seu lugar um inexpressivo vice traidor – um ficha suja – que veio para acelerar a retirada dos direitos dos trabalhadores e a entrega das riqueza e do patrimônio nacional;
O povo não reagiu;
Entregaram a EMBRAER, aprovaram a reforma trabalhista, um criminoso ataque a históricos direitos, aceleraram o programa de privatizações que prepara a entrega ao setor privado os correios e a produção e distribuição da água;
Aceleram a entrega do pré-sal – a maior riqueza nacional – para o capital internacional;
Novamente o povo não reagiu;
Depois, no que certamente é o maior e mais desastroso equívoco na nossa história, elegeu um presidente despreparado e destemperado, um fujão que escapou dos debates durante o processo eleitoral, um inimigo dos direitos humanos e da democracia, portador de evidentes sintomas de graves psicopatias;
O povo também não reagiu;
Bolsonaro odeia os negros, os índios, os pobres, os LGBT;
Entregou para os americanos a base de Alcântara;
Está promovendo um criminoso desmatamento da Amazônia;
Acha que violência se combate com violência: “bandido bom é bandido morto”, afirma. Provavelmente não enquadra na categoria “bandido” os milicianos;
Encaminha a toque de caixa a MP da Liberdade Econômica, que retira mais direitos e garantias dos trabalhadores: o Brasil volta aos tempos da escravidão;
Atenta contra a saúde da população brasileira ao defender o uso indiscriminado de agrotóxicos;
É mais que submisso, é um capacho dos interesses norte-americanos;
Assume descaradamente práticas nepotistas;
Para impedir a apuração de fortes indícios de irregularidades cometidas por familiares seus, interfere ilegalmente nas atividades de órgãos de Estado – Receita Federal, Polícia Federal, Ministério Público Federal – para impedir o prosseguimento das investigações;
Apoia abertamente a ditadura militar e elogia e homenageia odiosos torturadores;
Ainda assim o povo não reagiu.
É possível entender tamanha passividade? Nosso povo não vai reagir? Até quando os partidos de oposição vão alimentar a vã esperança de que um Supremo acovardado e apequenado vai libertar Lula? Será que podemos ter alguma esperança que a energia libertária das revoltas contra opressão lá da Guerra dos Palmares, do Levante dos Tupinambás, da Balaiada, da Revolta do Vintém e da Guerra dos Canudos poderá renascer? Eu penso como Saramago que afirmou: “sou um otimista pela vontade e um pessimista pela razão”.

(Paulo Muzell)

 

Esses Projetos Espaciais estão mais próximos do que você pensa…

29/08/2019 às 3:04 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags:

Esses projetos me fizeram lembrar do livro LOGO, LOGO que li esse ano. Todos eles estão lá, com mais detalhes e escritos com muito humor, recomendo: https://joserosafilho.wordpress.com/2019/06/17/logo-logo-dez-novas-tecnologias-que-vao-melhorar-e-ou-arruinar-tudo/


Esses Projetos Espaciais estão mais próximos do que você pensa…

1. Elevador no espaço

Esses projetos espaciais estão mais próximos do que você pensa

O método atual de conseguir suprimentos e pessoas no espaço para abastecer a Estação Espacial Internacional que orbita acima da Terra envolve o uso de nave russa Soyuz e Progress. Estes veículos são muito bem-sucedidos no que fazem, mas as missões são repletas de risco, além de serem caras e ineficientes.

Em consequência, tem ganhado força um projeto de um elevador no espaço envolveria um prendedor gigante ancorado a algum lugar na Terra que o conduz direitamente para cima. Isso permitiria que os suprimentos e as pessoas subissem diretamente. Embora a tecnologia existente não seja suficiente para fornecer materiais fortes para levar esse projeto adiante, a invenção não está muito longe de ser realizada.

A ideia de um elevador espacial existe desde o século XIX. No entanto, propostas de projetistas mais recentes tendem a incluir uma estação com base na Terra, usando um cabo maciço, escaladores e um contrapeso. O contrapeso é para manter o cabo para baixo, que por sua vez é ancorado para baixo pela estação base na Terra. Os escaladores sobem e descem o cabo com cargas e pessoas.

2. Mineração em asteroides

Esses projetos espaciais estão mais próximos do que você pensa

À medida que usamos cada vez mais recursos em nosso impulso implacável para o crescimento econômico aqui na Terra, alguns indivíduos inovadores e as corporações que possuem ou executam essas atividades estão olhando para a possibilidade de extrair minerais e metais preciosos em asteroides no sistema solar.

Várias propostas foram apresentadas para fazer isso, como usar uma espaçonave reutilizável para chegar e sair dos asteroides ou usar a impressão 3D para sistemas de propulsão e orientação a serem adicionados a um asteroide, e guiados de volta à Terra remotamente.

Atualmente, os custos de alcançar qualquer um dos métodos acima são um pouco proibitivos, no entanto, existem empresas que declararam que estarão procurando asteroides viáveis para explorar nos próximos cinco anos.

3. Colonização de Marte

Esses projetos espaciais estão mais próximos do que você pensa

Embora a colonização do Planeta Vermelho tenha sido um sonho de longa data para a humanidade, agora pode se dizer que existem várias partes ao redor do mundo que anunciaram suas intenções em realmente estabelecer uma colonização em Marte. A NASA dos Estados Unidos declarou publicamente que pretende colocar em prática esse plano até 2030.

O multimilionário tecnológico, Elon Musk, também fundou a SpaceX, uma de suas empresas, com a única intenção de ver uma colonização humana em Marte tornar-se realidade. Ele disse, que o primeiro passo para este objetivo de longo prazo está apenas de 11 a 12 anos de distância.

Por último, mas não menos importante, há uma iniciativa holandesa em andamento, chamada Mars One, que visa estabelecer uma colônia permanente em Marte até o ano de 2027. Na verdade, os candidatos potenciais para a missão já foram selecionados, mas houve muitas críticas do projeto por acadêmicos, astronautas e defensores do espaço.

4. Energia solar com base no espaço

Esses projetos espaciais estão mais próximos do que você pensa

Outro problema que enfrentamos no planeta Terra é a nossa crescente necessidade de eletricidade. É por isso que numerosos cientistas têm olhado para ponderar como a energia solar pode ser aproveitada no espaço sideral. A geração de energia no espaço tem inúmeros benefícios, tais como a sua capacidade de ser exportada para praticamente qualquer lugar do mundo, e para ser usada também para a dessalinização da água do mar.

A energia seria transmitida para Terra através de satélites com impacto ambiental mínimo. Além disso, as nações que desenvolvem usinas solares no espaço eliminariam a concorrência nacional por recursos, bem como a necessidade de comprar recursos energéticos de potências estrangeiras hostis.

A japonesa Mitsubishi Heavy Industries já conseguiu com sucesso transmitir 10 kilowatts de energia de uma unidade de transmissão para um receptor, o que significa que ter uma fazenda solar no espaço, transmitindo poder para a Terra, logo se tornará uma opção de geração de energia viável.

5. Asgardia – A primeira nação espacial

Esses projetos espaciais estão mais próximos do que você pensa

Se o nome soa familiar, é porque foi inspirado em um dos reinos dos deuses, Asgard, na mitologia nórdica. Se essa máquina sair do chão, Asgardia se tornará o primeiro país no espaço, funcionando essencialmente como sua própria nação soberana, contendo cidadãos que podem eventualmente viver, trabalhar e seguir suas próprias regras e regulamentos.

Igor Ashurbeyli, o homem que lidera a iniciativa, quer garantir o reconhecimento das Nações Unidas para Asgardia. Está previsto como uma nação de exploração científica, livre de restrições geopolíticas.

Além disso, os futuros fundadores da Asgardia querem criar a nação espacial para que ela possa fornecer um escudo de alta tecnologia no espaço a partir de ameaças cósmicas, provocadas pelo homem e efeitos naturais, tais como detritos espaciais, ejetos de massa coronal e colisões de asteroides . Este projeto está pelo menos a algumas décadas de sua concretização, se isso realmente acontecer, é a primeira vez que uma tentativa séria foi feita na criação de uma nação no espaço.

FONTE: http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=8012&memberid=508929&mi=2v0r2LnpU6075%2bi3Vl91r%2fpUhOzx%2bGRengbmZIQiuhY

A PÓS-VERDADE E A DESBRASILIDADE

28/08/2019 às 3:16 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags:

Brilhante e oportuno esse artigo de Armando Januário dos Santos , publicado no jornal A TARDE, Salvador-BA, dia 22 deste.


Uma doença chamada Desbrasil

Em 1932, Sigmund Freud e Albert Einstein discutiram as possíveis causas dos conflitos armados entre as nações. Os diálogos registrados em cartas e publicados em 1932, sob o título Por que a guerra?, nos ensinam como governos autoritários, em tempos obscuros, forjam a realidade para liberar toda a agressividade contida na mente humana. Fundamentalismo religioso, fobias, patriotismo extremado e intolerância são elevados a níveis excepcionais, para, em seguida, hostilizar quem pensa diferente,

As reflexões de Freud e Einstein são atemporais. Vivemos a Revolução 4.0, na qual dados compartilhados em redes sociais são usados para traçar perfis psicológicos e padrões de comportamento. Grupos políticos antidemocráticos se valem dessas informações para se eleger, convencendo milhares de que seus planos de (anti)jgoverno são a solução para a crise econômica. Ultrapassada, a verdade pode ser recriada e recontada.

No cotidiano brasileiro, a quebra dos principais marcos civilizatórios tornou-se usual, Com brutal agilidade, o governo federal avança sobre minorias sociais. Para isso, utiliza a mentira: sempre que algo não está de acordo com o paradigma daqueles que co- mandam o País, sua principal figura entra em cena, para perseguir e silenciar.

O nascimento do clã que governa nossa nação se deu em função de mentiras. Logo, para sua sobrevivência, é necessário mentir continuamente ou construir pós-verdades. O chefe do Estado Brasieiro afirmou, recentemente, que o IBGE mentiu quando divulgou o aumento do desemprego em sua gestão. Afirmou também que a fome e o racismo não existem no Brasil. Utilizou a pós-verdade tanto como instrumento para reforçar a per- versidade contra grupos socialmente minoritários, quanto para tentar extinguir lei de vital importância: qualificar povos originários em reservas como “animais em zoológico” e viabilizar o encerramento das aulas práticas para a obtenção da carteira nacional de habilitação (CNH) são exemplos disso.

Este cenário tem levado pessoas a padecerem de um nova doença: a desbrasilidade, caracterizada pela desesperança quanto ao futuro do País.

Psiquiatras e psicólogos referem significativo aumento do número de pacientes relatando sintomas idênticos: ansiedade, exaustão e pânico. É como se não fosse possível pensar na possibilidade de um futuro, pois os fatos do presente são esmagadoramente entristecedores.

Como lidar com tal estado de coisas? A resposta de Freud a Einstein talvez seja um caminho: “Tudo o que favorece o es- treitamento dos vínculos emocionais entre os homens deve atuar contra a guerra”. De fato, será pela via da identificação com nossas próprias emoções e formando grupos que exercitem a empatia que poderemos retornar à civilização!

(Armando Januário dos Santos)

FONTE: Jornal A TARDE, Salvador-BA, 22.08.2019

 

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: