Neruda

06/08/2017 às 18:26 | Publicado em Canto da poesia | Deixe um comentário
Tags: ,

Para fechar esse domingo, Pablo Neruda:

“É proibido chorar sem aprender,

levantar-se sem saber o que fazer e

ter medo de suas lembranças “

Pablo Neruda  pablo-neruda

Sob Sóis e Tormentas

03/08/2017 às 3:25 | Publicado em Canto da poesia | Deixe um comentário
Tags: ,

Respeito muito quem escreve poesias, pora mim a mais difícil arte literária. o-papel-velho-e-material-vetor-pena-da-pena_15-2179_thumb


Sob Sóis e Tormentas

Esqueci o meio-olhar

Perdido no tempo

E dissequei, a cada

Breve átimo-momento,

O cálido abrigo, ao relento,

A vagar, gélido, sob sois

Em longo-insone tormento.

(Asclépio Aguiar)

Pelos

10/06/2017 às 3:51 | Publicado em Canto da poesia | Deixe um comentário
Tags: ,

 

democracia-representativa-foto

 


“PELOS (de ratos)

.

Pelos povos brasileiros

De Norte a Sul, Leste e Oeste

Pelos heróis do Nordeste

Por proletários guerreiros

Pelo suor dos roceiros

Pelo pão de cada dia

Pela carta de alforria

Festejada na senzala

E um Brasil que não se cala:

Meu NÃO para a hipocrisia!

 

Pelos que foram findados

Nos porões da ditadura

Aos que sofreram tortura

E aos que foram exilados

Por cada corpo chorado

Por toda mãe que sofria

E todo pai que não dormia

Chorando a perda de um filho

Por um país com mais brilho:

Meu NÃO pra demagogia!

 

Pelos mártires de Eldorado

Pelos milhões de Allendes

Por Betinho, Chico Mendes

E Marighella assassinado…

Por um povo maltratado

Padecendo de agonia

Que se enche de alegria

Vendo a água no sertão

Por nossa transposição:

Meu NÃO pra essa tirania!

 

Pelos que venceram a fome

Pela expansão do REUNI

Pelas bolsas do PROUNI

Pelo FIES, pra que some

Fazendo o pobre ter nome

Que só rico possuía

Medicina, Engenharia

Odonto, Fisio e Direito

Por um Brasil com respeito:

Meu NÃO à peniafobia!

 

Por Deus e por Oxalá

Por Cristo e por Maomé

Pela Umbanda e Candomblé

Por Buda e pelo Torá

Por Lutero e o Orixá

Por Kardec e por Maria

Pela fé que profecia

Por ateus e outros mais

Por sermos todos iguais:

Meu NÃO pra xenofobia!

 

Pelos pelos desses ratos

Eu sinto imensa vergonha

E pelos sonhos de quem sonha

Pra sempre seremos gratos!

Pelos brasis de retratos

De gente que pensa e cria

No teatro, na poesia

Na música, esporte e na dança

Por um país de esperança:

Meu NÃO pra essa oligarquia!

 

Pelos povos das favelas

Pelo nosso agricultor

A honra do professor

Mais comida nas panelas

Negros, índios: Raças belas

Direitos da minoria

O sonho da moradia

Por nossas grandes conquistas

Por um país sem golpistas:

MEU SIM À DEMOCRACIA!”

.

(Oséas Rodrigo Rego Ferreira – Pau dos Ferros/RN)

Nada é impossível de mudar

14/03/2017 às 3:12 | Publicado em Canto da poesia | Deixe um comentário
Tags: , ,

 

Captura-de-Tela-2014-07-23-às-19.33.36


Nada é impossível de mudar  bertolt-brecht

Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.

E examinai, sobretudo, o que parece habitual.

Suplicamos expressamente:

não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,

pois em tempo de desordem sangrenta,

de confusão organizada,

de arbitrariedade consciente,

de humanidade desumanizada,

nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar”

(Bertold Brecht)

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: