PRIMEIRA USINA FLUTUANTE DE ENERGIA SOLAR COMEÇA A SER CONSTRUÍDA NA HOLANDA

18/04/2018 às 3:41 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , , ,

Duas observações importantes sobre este post. Primeiro notem que na Holanda eles precisam fazer isso no mar. Suponho que seja porque o território deles é muito pequeno. Agora imaginem isso massificado aqui no Brasil ! Segundo, e não menos importante, observem o que coloco no final do post (não é propaganda !!!) e verifiquem os preços das soluções de uso de paineis solares. Para mim ainda estão muito altos. Sei que há outras empresas, essa é apenas uma amostragem. E a velha pergunta: por que, num “país solar” como o nosso, não desenvolvemos o uso desse tipo de energia alternativa maciçamente, inclusive com incentivos fiscais do governo brasileiro ?


PRIMEIRA USINA FLUTUANTE DE ENERGIA SOLAR COMEÇA A SER CONSTRUÍDA NA HOLANDA

Um consórcio de seis empresas holandesas começou a construir a primeira usina flutuante localizada em mar aberto para a produção de energia solar. De acordo com informações dadas por Ariane van Hoeken, à Agência Efe. As instalações ficarão a cerca de 15 quilômetros do litoral de Scheveningen, em Haia.

Primeira usina flutuante de energia solar começa a ser construída na Holanda.

Allard van Hoeken, fundador do grupo Oceans of Energy, premiado como engenheiro do ano em 2015, afirmou que o projeto é desafiador, pois terão alguns desafios pela frente, como por exemplo, enfrentar ondas enormes e outras forças destrutivas da natureza. O projeto é inédito e especial, algo parecido nunca foi apresentado antes. A usina tem o apoio e financiamento do governo holandês e a expectativa é que a inauguração da mesma seja em, no máximo, três anos.
A ideia do projeto da usina flutuante surgiu pela falta de terra na Holanda, que não permitia que grandes projetos saíssem do papel no território nacional. Instalar os painéis solares para gerar energia limpa em uma plataforma no meio do mar foi uma solução inovadora! Se o projeto atingir um bom desempenho, é estimado que a produção de energia no mar seja 15% mais alta que a produzida por painéis instalados em terra.
O Relatório Nacional de Tendências Solares em 2018 mostra que a energia solar pode cobrir até 75% do fornecimento total de energia na Holanda. O governo do país espera que até 2050 todas as residências tenham adotado algum tipo de energia limpa. Isso serve de incentivo para muitos países!
Uma grande vantagem é que há muito sol no mar, além disso, outro benefício para o projeto é o sistema de resfriamento para os painéis, que aumenta a produção em até 15%. A Universidade de Utrecht também está contribuindo com o projeto, irão analisar a produção de energia no protótipo em alto-mar. Os painéis serão ancorados entre turbinas eólicas já existentes e conectados aos mesmos cabos, transportando energia eficientemente para os consumidores finais.
Além desse projeto Allard van Hoeken, fundador da Oceans of Energy, contou que um consórcio composto por produtores de energia, cientistas e pesquisadores planejam operar 2.500 metros quadrados de painéis solares flutuantes em 2021. Outros projetos de usinas flutuantes já ocorrem em outras regiões do mundo, como por exemplo, em nosso próprio país, na região do Amazonas, onde outra usina solar fotovoltaica começou a ser produzida.

Primeira usina flutuante de energia solar começa a ser construída na Holanda.

Ainda existe muito mais para ser aproveitado no que diz respeito a energia solar, e você pode conferir mais notícias e informações sobre a energia solar aqui no Blog do Portal Solar, como curiosidades sobre os países que mais consomem energia no mundo.
O Portal Solar é um site que auxilia os interessados em energia solar fotovoltaica, painel solar, painel solar fotovoltaico e gerador de energia solar a encontrar a melhor empresa para instalação em sua casa ou residência. Somos o maior portal de energia solar do Brasil e apoiamos todas as ações que promovem o uso da energia solar.  Entre em contato conosco e solicite um orçamento, contamos com o maior banco de dados de empresas qualificadas no país para instalar sistemas solares.

FONTE: https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-solar/primeira-usina-flutuante-de-energia-solar-comeca-a-ser-construida-na-holanda.html

PREÇOS: https://www.portalsolar.com.br/painel-solar-fotovoltaico.html

PAINEL SOLAR

Anúncios

“Nanogotas” reparadoras de córneas logo poderão substituir os óculos

24/03/2018 às 3:47 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Notícia auspiciosa para quem sofre de miopia e astigmatismo como eu. Confiram !


“Nanogotas” reparadoras de córneas logo poderão substituir os óculos

Um novo colírio desenvolvido por pesquisadores da Universidade Bar-Ilan e Centro Médico Shaare Zedek (Israel) pode melhorar a visão de quem tem miopia e hipermetropia. Até agora, porém, o produto só foi testado nas córneas de porcos.

O colírio promete ser uma nova forma de corrigir problemas de refração da luz na córnea, com ajuda da nanotecnologia. O pesquisador David Smadja, do Shaare Zedek, afirma que o colírio tem potencial de também ajudar em outros problemas na córnea, e até substituir lentes multifocais, permitindo que as pessoas que dependem desse tipo de lente possa focalizar objetos em diferentes distâncias.

A nanotecnologia funciona da seguinte forma: os pacientes usariam um aplicativo no celular para medir a refração dos olhos e criar um padrão de laser. Esse padrão seria “estampado” na superfície da córnea.

Smadja não disse por quanto tempo esse colírio teria que ser aplicado para corrigir a córnea de uma pessoa ao ponto de tornar os óculos ou lentes desnecessários.

Antes que o colírio possa passar para a próxima fase de testes e ser usado em humanos, é necessário resolver alguns problemas. Um deles é determinar com segurança se os componentes do colírio não são tóxicos para humanos, e outro é determinar a quantidade necessária que deve ser aplicada para que faça alguma diferença. Os pesquisadores acreditam que até o final de 2018 os testes em humanos serão possíveis.

Caso este tratamento seja aprovado, ele poderá mudar a vida de muita gente, já que a estimativa da Academia Americana de Oftalmologia é que metade da população global terá miopia em 2050. A metanálise calcula que em 2020 haverá 27,7% de míopes no Brasil e 42,1% nos Estados Unidos.

Um dos fatores responsáveis pelo aumento do número de casos no mundo todo é o uso intenso de computadores e outras tecnologias. Outro fator é a vida na cidade, que faz com que a maioria das pessoas passe o dia dentro de salas pequenas e não utilize a visão para longe. Quem vive em ambiente urbano tem mais do dobro de chances de desenvolver o problema.

(Juliana Blume)

FONTE: https://hypescience.com/nanogotas-para-reparar-corneas-podem-substituir-os-oculos/

Escritor diz que IA vai forçar o surgimento de uma classe de inúteis em 2050

19/03/2018 às 3:19 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , , , , , , ,

Sapiens – Uma breve História da humanidade”, de Yuval Noah Harari, é um livro imperdível. O autor lança agora esse prognóstico para o ano 2050, confiram !


Escritor diz que IA vai forçar o surgimento de uma classe de inúteis em 2050

No futuro, a crise do emprego não vai passar apenas pela economia e falta de investimento. Com a evolução da tecnologia, esse cenário pode crescer ainda mais, no momento em que muitas tarefas deixem de ser executadas por humanos.

Esse é o raciocínio do escritor Yuval Noah Harari, que escreveu um artigo para o jornal inglês The Guardiam em que lançou a seguinte ideia: até o ano de 2050, vai aparecer uma nova categoria de pessoas – a dos inúteis.

Professor da Universidade Hebraica de Jerusalém e autor de dois livros que estão fazendo muito sucesso no Brasil, Sapiens — Uma Breve História da Humanidade e Homo Deus — Uma Breve História do Amanhã (ambos lançados pela Companhia das Letras), Harari define essa nova classe como “pessoas que não serão apenas desempregadas, mas que não serão empregáveis”.

O desenvolvimento da inteligência artificial terá papel fundamental nessa previsão, segundo o escritor. A tecnologia vai forçar o nascimento de novas profissões, mas o problema é que nem todos vão conseguir se reinventar e encontrar um espaço na nova ordem das coisas. Com isso, se tornarão profissionais que não conseguem se reinserir no mercado de trabalho, pois a tecnologia vai mudar a forma como tudo é produzido, gerenciado e distribuído.

Vida no mundo virtual

Entre as profissões que vão surgir baseadas no desenvolvimento da inteligência artificial está o designer do mundo virtual. Como a tecnologia se atualiza rapidamente, quem não estiver preparado para ela desde o início da carreira profissional pode não ter condições de se adaptar a essa agilidade.

Segundo Harari, um corretor de seguro pode fazer uma transição para o mundo virtual, mas o seu progresso será lento a tal ponto que, quando ele estiver apto, talvez tenha que se reinventar novamente pois a tecnologia já avançou.

Portanto, para o escritor, a questão não é criar novos empregos, mas sim criar empregos em que os humanos possam ter desempenho melhor do que algoritmos.

O escritor Yuval Noah Harari: seremos inúteis em 2050? (Reprodução: TED/Divulgação)

Possíveis soluções

Como possível solução, ele propõe um sistema de renda básica universal, mas o próprio Harari vê algumas limitações neste momento: como manter essas pessoas ocupadas e satisfeitas? “As pessoas devem se envolver em atividades com algum propósito, ou vão ficar loucas. Afinal, o que a classe inútil irá fazer o dia todo?”, questiona.

Outra solução apresentada pelo escritor são os games de realidade virtual em 3D, que poderiam proporcionar mais engajamento emocional do que a vida real. Ele compara essa tecnologia com as religões: “Se você reza todo dia, ganha pontos. Se você se esquece de rezar, perde pontos. Se no fim da vida você ganhou pontos o suficiente, depois que morrer irá ao próximo nível do jogo (também conhecido como céu)”.

A inteligência artificial está cada vez mais presente nas nossas vidas, e o que Harari aponta é que essa tecnologia deverá aumentar sua presença no cotidiano. A casa conectada, a Internet das Coisas, assistentes virtuais… tudo isso começa ser algo comum.

Se o mundo virtual ou os games em 3D serão a solução, ainda é cedo para saber. Enquanto isso, vamos acompanhando a tecnologia que a cada dia chega com novidades potencialmente capazes de transformar o mundo em que vivemos.

Fonte: The Guardian

FONTE: https://canaltech.com.br/rv-ra/escritor-diz-que-ia-vai-forcar-o-surgimento-de-uma-classe-de-inuteis-em-2050-106756/

O DIA EM QUE O HOMO TECHNO SAPIENS ENCONTROU O HOMO NEO ANDERTAL

17/03/2018 às 3:51 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Muito bom esse artigo. Me lembrei logo dos livros de Yuval Harari, um deles inclusive citado no texto. Neo Andertal como eu, ou não, vale a pena conferir !

Human-Evolution


O DIA EM QUE O HOMO TECHNO SAPIENS ENCONTROU O HOMO NEO ANDERTAL

Era senso comum que o encontro do Homo Sapiens com o Neanderthalensis só teria ocorrido há cerca de 50 mil anos. Pesquisas recentes encontraram vestígios de DNA humano (portanto, do sapiens) em fósseis de 100 mil anos, mostrando uma interação bem anterior ao que se cria. Com origem num ancestral comum, que teria vivido no continente africano há 600 mil anos, o choque cultural havido no encontro dessas duas espécies é referido por paleontólogos e arqueólogos como de alto impacto. Uma das teorias vigentes, embora contestadas por estudos modernos, é que os Neandertais teriam sido extintos pelo gênio e pela capacidade dominadora e belicosa do Homo Sapiens detentor de mais habilidade para a construção de ferramentas para lutar com as vicissitudes da vida e para derrotar seus inimigos.

Independentemente da teoria que se acolha para justificar a extinção do Homo Neanderthalensis, há cerca de 28 mil anos, o fato é que houve um período de convivência e aprendizado entre ambos e que os Sapiens se perpetuaram e se adaptaram às novas formas de viver, de tal forma que nenhum de nós se identifica com a visão do Sapiens que vivia em bandos nas cavernas, como nômades. Agora, provavelmente, você está pensando: “E…”

Pois é, nos últimos 100 anos, a humanidade, aquele sapiens, dominou muitos conhecimentos e muitos elementos da natureza. Aprendemos a domesticar, ainda que não integralmente, o DNA, criamos uma inteligência com capacidade de aprendizado — a inteligência artificial —, aprendemos algo sobre conexões biomecânicas e interação homem-máquina, criamos internet, “nuvem”, big data, internet das coisas. Isso tem gerado, segundo Yuval Harari, uma nova espécie: o Homo Deus. Tenho pensado que estamos num tipo de encontro similar ao ocorrido há 100 milhões de anos, entre os sujeitos que resolvi nomear, parafraseando o que já temos de conhecimento adquirido, como Techno Sapiens e o Neo Andertal.

Já temos os millennials nascidos e criados na cultura digital, já temos os neo millennials que se “alfabetizam” em gadgets, antes mesmo de aprenderem a ler e escrever com suas próprias mãos. O choque que as novas tecnologias têm causado e causarão nas cidades, nos transportes, na medicina, na linguagem, na informação, no mercado de trabalho e em tantas outras áreas é ainda imensurável. Num horizonte de 5 anos, carros auto tripuláveis e movidos a eletricidade já serão realidade no catálogo de vendas das empresas que, hoje, abarrotam as cidades com modelos tripulados e movidos a derivados de petróleo. Espalham-se pelo mundo sistemas de inteligência artificial e telemedicina para diagnóstico e tratamento de doenças, a nanomedicida se desenvolve a passos largos. O mercado de trabalho passa e passará por transformações sensíveis na oferta de vagas e profissões necessárias, com forte concorrência entre homem e máquina.O Estado já não é mais o detentor privilegiado da informação, governos caem ou são questionados em comoções populares (herdadas por jovens) na mesma velocidade em que Elis Regina cantava o refrão do seu sucesso em Cartomante, tudo sincronizado pela internet.

A cadeia de comando e controle mantida por estruturas de governo e mercado é posta em cheque diutumamente. O movimento é irreversível. O tempo é disruptivo. O que nos resta: reconhecer que nossa geração (ao menos a minha) ê a Neo Andertal e lutar pela sobrevivência, entendendo que a nova era que se abre é para os parceiros das novas tecnologias da sustentabilidade e da ética nas relações sociais.

Podemos escolher ou aderir a essa parceria, apreendendo um novo modelo de algoritmo, estimulando os que chegam a tomarem para si a nossa “árvore do conhecimento acumulado” ou ficar no rastro da história, como um dia ficaram os neanderthalensis. Alguns perecerão no caminho, daí a necessidade de um sistema de proteção social, não necessariamente estatal, mas que garanta a dignidade à massa de trabalhadores que não serão capazes de se reinventar, assim como aconteceu na primeira e na segunda revolução industrial. A transição é dura, mas inevitável. Assim, é melhor que nos preparemos.

(Ana Carla Biacheriene)

FONTE: Jornal CORREIOBRAZILIENTE, 14.02.2018

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: