DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

20/11/2018 às 3:52 | Publicado em Fotografias e desenhos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: ,

 

DiaConscienciaNegra2

FONTE: Jornal A TARDE, Salvador-BA, 18.11.2018

Anúncios

Carta aberta de Manuel Castells aos intelectuais do mundo

10/10/2018 às 15:05 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Em tempos nebulosos é bom ouvir o que eles dizem !


Carta aberta de Manuel Castells aos intelectuais do mundo

“Em uma situação assim, nenhum intelectual, nenhum democrata, nenhuma pessoa responsável do mundo em que vivemos, pode ficar indiferente”. (Foto: Ramiro Furquim/Sul21)

Manuels Castells (*)

Amigos intelectuais comprometidos com a democracia:

O Brasil está em perigo. E, com o Brasil, o mundo. Porque, depois da Eleição de Trump, a tomada do poder por um governo neofascista na Itália e da ascensão do neonazismo na Europa, o Brasil pode eleger presidente um fascista, defensor da ditadura militar, misógino, sexista, racista e xenófobo, que obteve 46% dos votos válidos no primeiro turno da eleição presidencial. Pouco importa quem seja seu oponente. Fernando Haddad é a única alternativa possível. É um acadêmico respeitável e moderado, candidato pelo PT, um partido hoje em dia desprestigiado por ter se envolvido no processo de corrupção generalizado do sistema político brasileiro. Mas a questão não é o PT, mas sim uma presidência de um Bolsonaro capaz de dizer a uma deputada, em público, que ela “não merece ser estuprada”. Ou que o problema da ditadura não foi a tortura, mas sim que não tivesse matado mais ao invés de torturar.

Em uma situação assim, nenhum intelectual, nenhum democrata, nenhuma pessoa responsável do mundo em que vivemos, pode ficar indiferente. Eu não represento ninguém além de mim mesmo. Nem apoio nenhum partido. Acredito, simplesmente, que se trata de um caso de defesa da humanidade. Se o Brasil, o país decisivo da América Latina, cair em mãos deste desprezível e perigoso personagem, e dos poderes fáticos que o apóiam, os irmãos Koch entre outros, nos precipitaremos ainda mais fundo na desintegração da ordem moral e social do planeta, a qual estamos assistindo hoje.

Por isso, escrevo a todos vocês, aos que conheço e aos que gostaria de conhecer. Não para que subscrevam essa carta como se fosse um manifesto de políticos, mas sim para pedir-lhes que tornem pública, em termos pessoais, sua petição para uma ativa participação no segundo turno das eleições presidenciais, dia 28 de outubro, e nosso apoio a um voto contra Bolsonaro, argumentando segundo o que cada um pensa e difundindo sua carta por meio de seus canais pessoais, redes sociais, meios de comunicação, contatos políticos, qualquer formato que difunda nossos protestos contra a eleição do fascismo no Brasil. Muitos de nós temos contatos no Brasil, ou temos contatos que têm contatos. Contate-mo-los. Um what’s é suficiente, ou uma chamada telefônica pessoal. Não vai nos fazer um falta uma #. Somos pessoas, milhares, milhões potencialmente falando, no mundo e no Brasil. Ao longo de nossa vida, adquirimos com nossa luta e integridade uma certa autoridade moral. É hora de utilizá-la neste momento antes que seja muito tarde.

Eu farei isso, já estou fazendo. E rogo, simplesmente, que cada uma e cada um faça o que possa.

(*) Doutor em sociologia pela Universidade de Paris, é professor nas áreas de sociologia, comunicação e planejamento urbano e regional e pesquisador dos efeitos da informação sobre a economia, a cultura e a sociedade.

Tradução: Marco Weissheimer

FONTE: https://www.sul21.com.br/opiniaopublica/2018/10/carta-aberta-de-manuel-castells-aos-intelectuais-do-mundo/

Avaliação de Conjuntura pelo cientista político Rudá Ricci

01/10/2018 às 3:50 | Publicado em Midiateca, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: ,

Uma explanação estarrecedora e muito boa para a reflexão necessária em dias tão turbulentos como os de hoje. Em especial todo  servidor público deveria ver esse vídeo e (re)avaliar seu papel na sociedade. Esse vídeo é um exemplo daquela frase “pensar fora da caixinha”. Uma das coisas que ele diz e confirma com dados é que o tamanho do Estado brasileiro é pequeno, portanto não temos excesso de servidores públicos. Sobre alguns aspectos das próximas eleições, façam os devidos descontos porque  esse evento foi em agosto (de 17 a 24/08/2018, em Recife/PE).


A SUBLEVAÇÃO TOGADA

04/04/2018 às 9:33 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | 2 Comentários
Tags: , , , , , ,

Um país inteiro aguarda ansiosamente a decisão de onze “semideuses”, que se reúnem hoje no “Olimpo” às 14 h. Algo está errado, profundamente errado, em terras de Pindorama. E o pior, para quem viveu ou leu a nossa História, os militares estão inquietos, dentro e agora fora dos quartéis…

Parece que o Brasil está se transformando numa imensa Bahia. Hoje Lula pode ser preso após a decisão dos “semideuses” supra. E mesmo assim vai se candidatar à Presidência da República, com amplas possibilidades de ser eleito pelo povo. E, além de tudo isso, há um movimento internacional querendo que ele finalmente ganhe o Prêmio Nobel da Paz, na cadeia…

“Pense num absurdo- nesse caso a prisão de Lula- na Bahia e no Brasil há precedente “

Olho-Brasil


A SUBLEVAÇÃO TOGADA

O “manifesto” de juízes e procuradores, disfarçado de “nota técnica”, agora encabeçado pelo indecoroso ex-procurador da República Rodrigo Janot – um homem ao qual o recato não durou seis meses e que agora se dedica a questionar sua sucessora e chefe (pois ainda está na ativa) Raquel Dodge – representa uma intolerável sublevação de parte do Ministério Público e da Magistratura contra a ordem jurídica.

Não é difícil provar que assim é, apenas substituindo os personagens e o cenário.

Alguém consegue imaginar – para ficar na Justiça que tanto idolatram – um abaixo-assinado de magistrados norte-americanos dizendo como a Suprema Corte deve julgar determinado caso?

Ou alguém consegue figurar que capitães e coronéis subscrevam advertências ao Alto Comando do Exército?

As pressões se tornaram tão intensas que a sessão do STF, na quarta-feira (amanhã), assume ares não apenas de decisão jurídica, mas também de natureza administrativa-disciplinar.

Do contrário, estabelecer-se-á a regra de que as decisões do Supremo, agora, serão tomadas pelos ativismos de juízes e promotores: eles decidem o que a corte vai, apenas, formalizar.

A monstruosidade de relativizar um princípio e, confessadamente, dizer que a falta de provas não é fator desqualificante de uma sentença condenatória, foi apenas o início: o que se tem agora é um levante de togas contra a autoridade do Supremo Tribunal Federal (STF).

E não contra ou a favor de uma tese, mas de um homem.

Afinal, a “nota técnica” surgiu apenas agora, quando é o caso do ex-presidente Lula que está em julgamento. Não houve um pio quando a questão foi discutida, despersonalizadamente, ao julgarem-se as liminares nas ações diretas de inconstitucionalidade sobre o tema, aquelas a que, cavilosamente, Cármen Lúcia tem recusado o julgamento do mérito.

Não é uma questão jurídica, é de ódio ideológico. E não decide que a Operação Lava Jato sobrevive ou não, a não ser que se admita que a Lava Jato só tivesse e tenha como objetivo prender o ex-presidente Lula. É dessa a “técnica jurídica” que os sublevados estão se servindo: a intimidação de ministros, especialmente Rosa Weber, para ditar o resultado de um julgamento.

(Roberto Fiorini, advogado)

FONTE: Jornal A TARDE, Salvador-BA, 03.04.2018

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: