Desmistificando mais um “fake oficial”

24/01/2020 às 3:02 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | 1 Comentário
Tags: , , ,

A fim de combater mais uma notícia falsa do governo, faço esse post em nome da verdade e de uma das mais importantes empresas públicas deste país, o SERPRO. Invertendo a lógica, primeiro cito três pontos importantes que me foram passados pelo servidor Suderland Guimarães (representante da Organização Local de Trabalho do Serpro, em Fortaleza-CE) (I); dois trechos que selecionei do documento “Manifesto a favor do Serpro e Dataprev” (II); e na sequência o link da notícia (III).


I –

1. O autor cita o Pentágono e o TSE de forma equivocada ou mentirosa.
2. Quem administra a TI e os dados do Pentágono, inclusive esse contrato novo de BD com a Microsoft, é a Estatal de TI chamada DISA.

3. Quem administra a TI do TSE são os concursados na área de TI.


II –

1. Risco à soberania nacional

O Secretário-Executivo do CONSELHO DE DEFESA NACIONAL, na Portaria 34 149/2009 , definiu que a Infraestrutura Crítica (IC , publicada no DOU Nº ) abrange as instalações, serviços, bens e sistemas forem interrompidos ou destruídos que, se , provocarão sério impacto social, econômico, político, internacional ou à segurança do Estado e da sociedade . Como um subconjunto fundamental da IC , destaca-se a Infraestrutura de Informações Críticas (IIC) cujos principais componentes são as informações, telecomunicações, informática/software, internet, satélites, fibra ótica etc. O termo também é utilizado para o conjunto de computadores e redes interconectados, e os seus fluxos de informações críticas. O Serpro pode ser considerado como uma IIC que suporta alguns setores da IC . Um documento do Gabinete de Segurança Institucional, o GSI, subordinado à Presidência da República e responsável pela Abin, PROÍBE que informações confidenciais do governo e dados pessoais coletados por órgãos públicos sejam hospedadas ou mesmo terem cópias em servidores no exterior .

Tendo isso em mente, como o Salim Mattar citou o Pentágono como exemplo, se for para copiarmos o modelo norte-americano, então o Serpro e a Dataprev não deveriam ser vendidas, mas serem fortalecidas como empresas públicas, se tornarem administradoras da TIC do Governo Federal e ligadas ao Ministério da Defesa, como ocorre com a estatal de TI dos EUA , a Defense Information Systems Agency (DISA ), que fica sob o Departamento de Defesa (DoD) americano. A DISA está voltada para a questão da “Defesa Nacional” e controle e definição de estratégia de TICs governamental.

Segundo, Yuval Noah Harari, célebre escritor, os dados estão se tornando o capital mais importante do mundo para a riqueza e desenvolvimento de uma nação. O estatuto do Serpro, no Artigo 3º, define os seus objetivos e finalidades. O parágrafo único contém o seguinte texto: “Os serviços prestados pelo Serpro envolvem matérias afetas a imperativos de segurança nacional, essenciais à manutenção da soberania estatal, em especial no tocante à garantia da inviolabilidade dos dados da administração pública Federal direta e indireta, bem como aquelas relacionadas a ​ relevante interesse coletivo , orientadas ao desenvolvimento e ao emprego de tecnologia brasileira para produção e oferta de produtos e serviços de maneira economicamente justificada.​”

9. O Pentágono e a sua estatal de TI, a DISA

O Pentágono DISA (Departamento de Defesa, em inglês DoD ) controla seus Dados através da estatal de informática , que, por sua vez, tem sua própria base de dados, uma nuvem (MilCloud ) e também controla os contratos com empresas privadas de TI. A DISA é composta por mais de 8.000 funcionários militares e civis.

“Se olharmos pelo prisma do controle da informação e das definições da estratégia de uso da Tecnologia e das Comunicações, o modelo norte-americano é mais “estatal” que o brasileiro. Pois está voltado para a questão da “Defesa Nacional”. E naquele país esse controle e definição de estratégia de TICs governamental está à cargo da DISA – Defense Information Systems Agency . No Brasil Serpro e Dataprev prestam serviços de TI ao governo, mas não tem o poder de centralizar ou interferir na estratégia tecnológica que for adotada pelo Governo. São meras executoras de serviços demandados pelas diversas esferas governamentais, se seguíssemos o modelos americano, então teríamos que aumentar a área de atuação dessas empresas, aumentar a centralização e integração dos dados e dá-lhes mais autonomia técnica.

No caso da DISA sua missão é ser o provedor tecnológico de toda a área de Defesa norte-americana, nos mínimos detalhes que envolvam as comunicações, sistemas e até a compra de equipamentos . E ela não só atende a área militar. Por exemplo, também atua como provedora de serviços de TICs para a Casa Branca, o Serviço Secreto e as demais agências de espionagem .

Leia mais em: https://www.capitaldigital.com.br/?p=27457

– A DISA também tem sua própria nuvem , a nuvem militar conhecida como MilCloud 2.0. Os EUA estão centralizando a base de dados dos departamentos americanos na base de dados da DISA. O Departamento de Defesa Americano ordenou que aplicativos em mais de 100 data centers do Governo Americano fossem transferidos para o milCloud da DISA . Cada um desses data centers é operado pelas agências do “fourth estate” do DoD, incluindo a Agência de Logística da Defesa, o Serviço de Contabilidade Financeira da Defesa, a Agência de Saúde da Defesa, a DARPA e os Chefes de Estado-Maior Conjunto.

– É verdade que o Pentágono também faz Outsourcing de armazenamento e processamento, mas a DISA tem seu próprio corpo funcional pra cuidar dos dados e dos algoritmos perenes do Governo. Além de gerenciar e cuidar da segurança dos dados em nuvens privadas ou na sua nuvem própria, estatal, a MilCloud 2.0.


III –

LINK DA NOTÍCIA – Governo diz que não vai vender dados de Serpro e Dataprev, mas pode terceirizar custódia

https://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&UserActiveTemplate=mobile&UserActiveTemplate=site&infoid=52607&sid=11&utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter#.XiCnP5zi0J4.twitter

 

15 invenções acidentais que são super necessárias

16/01/2020 às 3:00 | Publicado em Midiateca, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags:

Invenções que surgiram de forma inusitada.


SERPRO, mais um crime de Lesa-Pátria

15/01/2020 às 2:47 | Publicado em Midiateca, Zuniversitas | 1 Comentário
Tags: , , ,

Mais um alerta, desta vez feito de forma simples e objetiva pelo brilhante servidor Suderland Guimarães do Serpro-Fortaleza/CE.

O representante da Organização de Local de Trabalho do SERPRO, Suderland Guimarães, denuncia que querem vender os dados dos brasileiros, dos cidadãos e empresas. 

 

 

 

 

 


Privatização do Serpro e da Dataprev

09/01/2020 às 3:13 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , , ,

Diante de mais um crime explícito de lesa-pátria do governo, e considerando o trabalho que fiz em parceria com o Serpro por quase três décadas, não poderia calar diante da proposta de privatização da maior empresa de TI do Brasil. A quem interessa ? É a pergunta que não quer calar ! Compartilho este Manifesto que me foi enviado por grandes amigos daquela empresa.

Alerta


MANIFESTO A FAVOR DO SERPRO E DATAPREV

1. Risco à soberania nacional.

2. Problemas legais (LGPD) de se vender os dados dos brasileiros.

3. Monopólio estatal ou privado?

4. Já tivemos problema com privatização na TI: caso Datamec.

5. Vantagens e eficiência do Serpro e da Dataprev.

6. 2 em cada 3 brasileiros são contra privatizações.

7. Re-estatizações no primeiro mundo. 8. Escândalos de vazamentos ou mau uso dos dados por empresas privadas. 9. O Pentágono e a sua estatal de TI, a DISA.

LINK: https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3A9d6da2e1-b1f5-495d-af5b-9619039ea80d

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: