CONHEÇA O JORNAL QUE VIRA PLANTA

27/08/2017 às 3:06 | Publicado em Artigos e textos, Midiateca | Deixe um comentário
Tags: , ,

Mais uma ideia interessante. Achei no blog-irmão “O Bem Viver” e compartilho agora. Como sou dos poucos que ainda leem jornal em papel quase diariamente, poderia montar um bom jardim no quintal de minha casa se a tecnologia tivesse chegado por essas plagas soteropolitanas


CONHEÇA O JORNAL QUE VIRA PLANTA

Green Newspaper (Foto: Reprodução/yoshinakaono)

Depois de ler o jornal, você pode rasgá-lo em pequenos pedaços e plantá-lo (Foto Reprodução/yoshinakaono)

Em tempos em que a sustentabilidade é cada vez mais pensada nas grandes e pequenas empresas, projetos de reutilização e reciclagem são muito bem-vindos. Pensando nisso, o jornal japonês The Mainichi Shimbunsha passou a produzir o “Green Newspaper” (jornal verde, em tradução livre). O produto é feito de papel reciclável e vegetal, que pode ser plantado após a leitura.
Esse tipo de jornal está no mercado há algum tempo, e é feito de uma mistura de papel, água e pequenas sementes de flores ou plantas. Depois de lê-lo, é só rasgá-lo em pedaços pequenos, plantá-los e não esquecer de regar para, em pouco tempo, ver pequenas mudas nascer.

Green Newspaper (Foto: Reprodução/yoshinakaono)

Green Newspaper (Foto: Reprodução/yoshinakaono)

No Japão, a iniciativa do Mainichi Shimbunsha atingiu todo o país. O jornal tem uma circulação de mais de 4 mil cópias e chegou também até as escolas para ensinar as crianças a importância da reciclagem para o planeta.
Aqui no Brasil, esse tipo de papel é produzido pela Papel Semente, em formatos diferentes.


FONTE: http://revistacasaejardim.globo.com/Curiosidades/noticia/2017/06/conheca-o-jornal-que-vira-planta.html

Anúncios

Bruno Aziz

19/06/2017 às 3:32 | Publicado em Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Recentemente perdemos, os leitores do jornal A TARDE, Salvador-BA, o grande cartunista Simanca (ele fez uma espécie de carta via zapzap explicando a sua expulsão do jornal – seus admiradores nem precisavam ler para saber…). Ganhamos outro gênio, Jaguar, que certamente irá sair da mesma forma que Simanca, mais cedo ou mais tarde. Para os que não sabem, o jornal A TARDE, assim como a TV Bahia e outros veículos de comunicação dessa bela terra da Bahia de Todos os Santos são propriedades da família de ACM, aquele que NÃO morreu !

Salve Bruno Aziz, o que ainda permanece !


BrunoAziz_15_06_2017

O papel da mídia

12/05/2017 às 3:41 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | 2 Comentários
Tags: ,

Dois artigos em um. Florestan Fernandes Júnior e Leandro Fortes. Confiram !


FLORESTAN FERNANDES EXPLICA POR QUE VOCÊ DEVE DUVIDAR DA MÍDIA

NurPhoto

O jornalista Florestan Fernandes Júnior lembra que, quando a economia ia bem, colunistas da mídia familiar diziam o contrário: apostavam no apagão, na inflação e no desemprego; hoje, quando tudo vai mal, tentam encontrar razões para dizer o contrário; confira sua análise

7 DE MAIO DE 2017

As voltas que a mídia dá

Por Florestan Fernandes Júnior, em seu Facebook

Revendo minhas postagens de 2013 aqui no facebook, topo com uma que é esclarecedora sobre a manipulação da notícia. Na época, o desejo dos donos dos meios de comunicação era explicitado pelos âncoras das emissoras de rádio e televisão nas críticas a nossa economia.

Vejam só, no início daquele ano, as manchetes das escaladas dos telejornais diziam que o país estava à beira de um apagão elétrico. O tempo passou, e nada!

Na sequência apostaram todas as fichas no aumento do desemprego, e a taxa fechou o primeiro trimestre do mesmo ano em 5,7%, o menor nível histórico para março, segundo o IBGE. Partiram então para a queda na produção automobilística.

No mês seguinte a produção de automóveis bateu novo recorde histórico. Logo em seguida, por conta da quebra da safra de tomate, batata, cebola e outros legumes, a bola da vez era a inflação que iria voltar. Como o esperado a produção se normalizou e os preços dos legumes caíram.

No Brasil do governo Temer, sem praticamente nada de bom para mostrar, o jornal Valor Econômico deu na última quinta-feira, em sua primeira página, que a Bolsa de Valores iria subir por conta da retomada empresarial. No mesmo dia a Bolsa de São Paulo caiu 2 pontos e o dólar subiu.

No início do ano as reportagens previam um aquecimento nas vendas por conta da liberação das contas inativas do FGTS. Bola fora, só em abril a produção de automóveis teve uma queda de 18,8% e a de material de construção uma retração de 5%. O setor industrial, de maneira geral, despencou 6,7% no primeiro trimestre de 2017.

E, para o desespero do trabalhador, o desemprego atinge hoje 14 milhões de brasileiros. Os únicos que se deram bem foram os bancos. O lucro do Itaú, por exemplo, cresceu 20% no primeiro trimestre, chegando à soma de 6,1 bilhões de reais. Agora, parte da nossa mídia garante que com as reformas trabalhista e previdenciária tudo irá melhorar. Você acredita?


Depoimento em Curitiba: Coletânea de frases de Lula que você não verá na Globo

Lula soltou a língua no depoimento em Curitiba.

ACABOU O LEXOTAN NA REGIÃO AGRÍCOLA
Leandro Fortes em 10/5/2017

Gente, fora da bolha protetora da mídia, o juiz Moro é fraquíssimo, titubeante, incapaz de formular questões diretas e objetivas.

Não tem talento algum para o papel que lhe impuseram.

Nem tem uma única prova contra Lula.

A Justiça brasileira, com todos os seus problemas, não merecia esse vexame sem fim.

***

FRASES DE LULA NO DEPOIMENTO
MORO: Senhor ex-presidente, preciso lhe advertir que talvez sejam feitas perguntas difíceis para você.
LULA: Não existe pergunta difícil pra quem fala a verdade.

***

MORO: Esse documento em que a perícia da PF constatou ter sido feita uma rasura, o senhor sabe quem o rasurou?
LULA: A Polícia Federal não descobriu quem foi? Não? Então, quando descobrir, o senhor me fala, eu também quero saber.

***

MORO: O senhor não sabia dos desvios da Petrobras?
LULA: Ninguém sabia dos desvios da Petrobras. Nem eu, nem a imprensa, nem o senhor, nem o Ministério Público e nem a PF. Só ficamos sabendo quando grampearam o Youssef.
MORO: Mas eu não tinha que saber. Não tenho nada com isso.
LULA: Tem sim. Foi o senhor quem soltou o Youssef. O senhor deve saber mais que eu [referindo-se ao escândalo do Banestado].

***

LULA: O Dallagnol não tá aqui. Eu queria o Dallagnol aqui pra me explicar aquele PowerPoint.

***

MORO: Saíram denúncias na Folha de S. Paulo e no jornal O Globo de que…
LULA: Doutor, não me julgue por notícias, mas por provas.

***

LULA: Esse julgamento é feito pela e para a imprensa.
MORO: O julgamento será feito sobre as provas. A questão da imprensa está relacionada a liberdade de imprensa e não tem ligação com o julgamento.
LULA: Talvez o senhor tenha entrado nessa sem perceber, mas seu julgamento está sim ligado a imprensa e os vazamentos. Entrou nessa quando grampeou a conversa da presidente e vazou, conversas na minha casa e vazou, quando mandou um batalhão me buscar em casa, sem me convidar antes, e a imprensa sabia. Tem coisas nesse processo que a imprensa fica sabendo primeiro que os meus advogados. Como pode isso? E, prepare-se, porque estes que me atacam, se perceberem que não há mesmo provas contra mim e que eu não serei preso, irão atacar o senhor com muito mais força.

***

MORO: Senhor ex-presidente, você não sabia que Renato Duque roubava a Petrobras?
LULA: Doutor, o filho quando tira nota vermelha, ele não chega em casa e fala: “Pai, tirei nota vermelha”.
MORO: Os meus filhos falam.
LULA: Doutor  Moro, o Renato Duque não é seu filho.

***

LULA: Doutor Moro, o senhor já deve ter ido com sua esposa numa loja de sapatos e ela fez o vendedor baixar 30 ou 40 caixas de sapatos, experimentou vários e no final, vocês foram embora e não compraram nenhum. Sua esposa é dona de algum sapato, só porque olhou e provou os sapatos? Cadê uma única prova de que eu sou dono de algum tríplex? Apresente provas doutor Moro?

***

MORO: O senhor solicitou à OAS que fosse instalado um elevador no tríplex?
LULA: O senhor está vendo essa escada caracol nessa foto? Essa escada tem dezesseis degraus e é do apartamento em que eu moro há 18 anos em São Bernardo. Dezoito anos a Dona Marisa, que tinha problema nas cartilagens do joelho passou subindo e descendo essa escada. O senhor acha que eu iria pedir um elevador no apartamento que eu não comprei, ao invés de pedir um elevador no apartamento em que eu moro, para que a Dona Marisa não precisasse mais subir essa escada?

***

LULA: O vazamento das conversas da minha mulher e dela com meus filhos foi o senhor quem autorizou.

***

MORO: Tem um documento aqui que fala do tríplex…
LULA: Tá assinado por quem?
MORO: Hmm… A assinatura tá em branco…
LULA: Então, o senhor pode guardar por gentileza!

***

FRASES DE LULA NO COMÍCIO APÓS O DEPOIMENTO
“Se não fossem vocês, eu não suportaria o que eles estão fazendo comigo”.

“O Jornal Nacional, em 12 meses, publicou 18 horas de matérias para me massacrar. Quero dizer que estou vivo”.

“Esperava que, depois de tanto massacre, eles tivessem o documento que eu comprei, reformei o apartamento, com escritura registrada em cartório. Mas nada, nada. Perguntaram se eu conheço o Vaccari [Neto, ex-tesoureiro do PT], o [Paulo] Okamotto [presidente do Instituto Lula]. Lógico que eu conheço e não tenho vergonha dessas pessoas. Não quero ser julgado por interpretações, mas por provas”.

“Eu só posso dizer uma coisa. Em meu nome, em nome do meu partido, em nome dos movimentos sociais que estão aqui, em nome dos partidos solidários, do movimento sindical: se um dia eu tiver que mentir, eu prefiro que um ônibus me atropele em qualquer rua deste país. Eu jamais poderia mentir para pessoas como vocês que acreditam e me seguem há tanto tempo”.

“Minha mãe viveu e morreu analfabeta. Ela dizia que conhecemos quando as pessoas estão dizendo a verdade, não pela boca, mas pelos olhos. Por isso, queria que as pessoas vissem os olhos de quem está perguntando e quem está respondendo”.

“Minha relação com vocês é de companheiros de projeto de país e construção de sociedade civilizada”.

“Quero dizer que estou vivo e estou me preparando para voltar a ser candidato à Presidência deste país. Nunca tive tanta vontade de voltar a ser presidente como agora”.

***

DILMA NO COMÍCIO EM CURITIBA
“Lula vai derrotar esse retrocesso que hoje o governo golpista está fazendo em Brasília a portas fechadas querendo acabar com a Petrobras, vender nossas terras para estrangeiros, abrindo nossa indústria para ser vendida a preço de banana”.

FONTE: https://limpinhoecheiroso.com/2017/05/11/depoimento-em-curitiba-coletanea-de-frases-de-lula-que-voce-nao-vera-na-globo/

O REI DOS ANIMAIS

29/03/2017 às 3:33 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | 3 Comentários
Tags: , , ,

Li esse artigo em minha última viagem a Brasília, publicado no Correiobraziliense do dia 05 deste mês. Um texto muito bom, vale a pena conferir.


O REI DOS ANIMAIS

pinsky_rei-animais

O homo sapiens só se tornou o rei dos animais quando começou a desenvolver sua capacidade de abstração. Até então não tinha vantagens sobre outros humanos, como os Neandertais. Yuval Harari, historiador israelense, assinala que a chamada Revolução Cognitiva teria ocorrido entre 40 e 70 mil anos atrás. Se considerarmos que os humanos já povoavam o planeta há pelo menos 200 mil anos, pode-se concluir que foi uma conquista lenta e árdua. Conquista, por outro lado, alcançada quando ainda éramos caçadores-coletores, mais coletores do que caçadores, na verdade. Apesar do prestígio que o abate de um animal grande trazia aos machos da tribo, a maior parte dos alimentos necessários à sobrevivência da tribo era obtida de raízes, frutas, pequenos animais e até insetos. Pesquisadores observam que a grande vantagem da dieta desse período consistia na variedade alimentar que supria todas as necessidades nutricionais dos nossos avós. Já na agricultura, que com frequência consistia em uma monocultura (arroz, trigo, milho, batata, ou outro carboidrato, geralmente), havia carências importantes para nosso organismo de onívoros. É verdade que a agricultura, que começou há uns 12 mil anos, pode ter criado gente mais chata, mais rotineira, sem horizontes tão amplos quanto os dos caçadores-coletores (vistos por alguns especialistas com uma aura romântica, como se fossem aventureiros por livre escolha). É uma visão distorcida. Pequenos e frágeis bandos de algumas dezenas de membros tinham que disputar comida com competidores bem mais aparelhados de garras, mandíbulas e músculos. A grande vantagem que tinham era fruto da Revolução Cognitiva que permitiria intercâmbio entre bandos, troca de experiências, de produtos, e mais importante do que tudo, de linguagem. Não que a linguagem já não existisse. Humanos, de todas as espécies se comunicavam. Não só os humanos, na verdade. Hoje sabemos que baleias e golfinhos se comunicam, que cães e gatos se comunicam, que formigas e abelhas se comunicam. Mas se trata de uma comunicação básica do tipo: “cardume de sardinhas”, ou “açúcar no armário”. É impossível imaginar uma foca dizendo a outra “que tal homenagearmos nossa avó morta fazendo uma escultura naquele bloco de gelo?” ou uma abelha pregando uma rebelião: “vamos atacar aquele agrônomo que vai envenenar os pomares?”.

A capacidade de pensar abstratamente, com coesão e coerência, é uma característica não apenas humana, mas de uma espécie especifica de humanos, o homo sapiens. Ela surge, não se sabe ainda porque, nem exatamente quando (entre 40 e 70 mil anos é um prazo bem elástico), e tem várias consequências. A primeira foi a de acabar com a concorrência. Mais articulados, mais capazes de trabalhar em grupos maiores, os sapiens se impõem sobre os outros e se tornam os únicos humanos a habitar o planeta. Vestígios de DNA de neandertais encontrado em populações europeias e do médio oriente mostra que em alguns lugares deve ter ocorrido um cruzamento entre as espécies, mas em outras nós prevalecemos, por bem ou por mal.

Em alguns vales (na Índia, na China, no Egito, na Mesopotâmia, por exemplo) fomos nos estabelecendo, criando nossas famílias com mais segurança, plantando os produtos mais adequados a cada condição geoclimática, construindo casas, levantando cercas, inventando deuses para nos proteger de outros humanos e adotando cães para nos alertar contra animais perigosos. Onde havia abundância deixamos outras famílias se juntar às nossas e fomos estabelecendo regras de conduta e formas de adoração daqueles deuses que havíamos inventado. Tratamos de transmitir aos nossos descendentes não apenas nossas práticas agrícolas, nossas técnicas de construção, ou nossa forma de preparar alimentos e estocá-los para dias de carência, mas também ensinamos nossa língua, ou seja, o nome das coisas concretas e das coisas abstratas, do mundo real e do mundo da imaginação. Esta capacidade, que mais tarde transmitiríamos pela palavra escrita, principalmente através de livros, corre o risco de se perder. Não para todos, já que sempre haverá uma parte da população capaz de criar e transmitir conceitos, ideias, imagens. Mas para aqueles que se satisfazem apenas em digitar e ler tolices, retroagindo dezenas de milhares de anos. Não adianta que o façam em aparelhos modernos, como se a mídia sozinha fosse a mensagem.

Não é.

(Jaime Pinsky, historiador e editor, doutor e livre docente da USP, professor titular da Unicamp, autor de As primeiras civilizações, entre outros livros.)

FONTE: http://www.editoracontexto.com.br/blog/o-rei-dos-animais-jaime-pinsky/

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: