Brecht !

15/03/2019 às 3:38 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: ,

Brecht

Anúncios

A Literatura como ponto de/para partida

14/03/2019 às 3:34 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Muito bom esse artigo para nossa reflexão. A importância da literatura e como o pensar é necessário como exercício de liberdade, como frisam os autores.

Literatura


A Literatura como ponto de/para partida

O processo de desenvolvimento capitalista gerou uma profunda crise não só no espaço público e privado, mas em todos os segmentos da vida contemporânea. O crescimento se mostrou irreal e a produção universal de mercadorias, sem a necessária base do trabalho, criou uma ruptura que nos conduz à uma busca irracional por mais capital.

O modelo de democracia liberal busca desconstruir os sujeitos ao não reconhecê-los em sua forma social, em contraposição ao fetichismo/barbárie resultantes. O padrão de comportamento socializante, que suaviza a convivência em busca da estabilidade e coesão social, está sujeito às normas morais e jurídicas, Isto desafia a tradição e passa ao campo da liberdade, da contestação. É a ruptura com os elementos derivativos do que é imposto; a busca de um frutificar dos impulsos éticos.

A literatura é uma fonte inesgotável de possibilidades para nos auxiliar na compreensão e superação do atual campo histórico da modernidade. Ao analisar as obras de ficção – referências para distopia em Kafka, Huxley e Orwell – encontramos quais são as relações de poder latentes na dialética Leis/Justiça.

Franz Kafka (1883/1924) não só revoluciona os modelos formais de expressão literária, mas coloca de modo sensível e trágico a existência humana sob os aus- pícios da sociedade que desconstrói, de maneira predatória, os basilares modos do bem viver comunitário. George Orwell (1903/1959) e Aldous Huxley (1894/1963), por sua vez, ao clamarem contra os totalitarismos do início do século XX, projetam obras para além do seu tempo, produzindo uma profética paisagem do mundo contemporâneo ao refletirem sobre o assombroso desgaste dos recursos ambientais e degradação do meio ambiente, asseverando a obtenção do lucro como finalidade social consubstanciada no valor da troca, no trabalho abstrato, na globalização e no “novo” modus operandi do capitalismo: o neoliberalismo.

Estas narrativas nos fazem refletir sobre o quanto pensar é necessário como exercício de liberdade, Desafiar costu- mes, leis e regras são indicativos de ação política, especialmente, quando elas não mais representam as nossas aspirações de/para o bem viver em sociedade.

Afinal, parafraseando Benjamin, resgatar o que foi perdido, não é um fim em si mesmo, mas um ponto de partida. Como a coruja de Minerva, devemos alçar voo naquele momento único em que, no mesmo tempo e espaço, não se diferencia presente e passado, mas pode-se confrontar com a possibilidade de criar o novo, o devir que não seja apenas histórico ou filosófico. Compreender que, apesar das circunstâncias, sabemos o que esperar. O epílogo de cada capítulo será escrito por e para aqueles que se entendem como sujeitos de seu próprio destino.

(Dilson Araújo Alves Peixoto e Antônio Carlos da Silva)

FONTE: Jornal A TARDE, Salvador-BA, 13.02.2019

Taiguara

10/03/2019 às 3:22 | Publicado em Midiateca, Zuniversitas | Deixe um comentário
Tags: , ,

Domingo, música da boa ! Taiguara, quanta falta nos faz em momentos políticos como os que estamos vivendo !


Teu sonho não acabou


Que as crianças cantem livres

Eco do Carnaval: O SORRISO DA CACÁ

09/03/2019 às 3:26 | Publicado em Artigos e textos, Zuniversitas | 1 Comentário
Tags: , ,

Cacá já esteve aqui antes, em post que fiz com música e texto de Veríssimo: Cacá. Retorna agora com essa crônica como eco do recente Carnaval.

Parafraseando Veríssimo, um dos maiores escritores vivos deste país:

Excesso de non sense ? Sorriso da Cacá !

 

x79894697_RI-Rio-de-Janeiro15-de-novembro-de-2018Menina-sambista-da-MangueiraCamila-caca-nasc.jpg.pagespeed.ic.HOzrLCV4ut

 


O SORRISO DA CACÁ  Verissimo_sax

MInha escola, a Salgueiro, desfilou antes, e estava linda, mas meu coração traidor se deixou levar: confesso que traí. Eu queria ver a Mangueira. Todo o desfile, até à ira aparecer, para mim foi prólogo.

Tudo que precedia a Mangueira atrasava a Mangueira. Blocos de argentinos indo na direção errada, nórdicos perplexos, baterias elétricas, madrinhas de bateria com coxas intermináveis, alegorias adernadas, baianas cansadas.. Saiam da frente! Abram alas para só o que interessa, a Mangueira!

Está certo, meu entusiasmo pela Mangueira não é desinteressado. Tenho um plano político pessoal que, se tudo der certo, acabará com a Cacá Nascimento na comissão de frente permanente da escola e, eventualmente, na presidência da República.

Cacá e seu sorriso se tornarão uma espécie de termúmetro da disposição nacional e, como ela está sempre sorrindo e/ou cantando , o humor nacional será de eterno otimismo, não importa o que esteja acontecendoem Brasília. Seu rosto e seu sorriso garantirão nosso futuro, pois um pais que cria uma Cacá, pode tudo.

Cacá no Sambódromo seria um teste da sua capacidade de nos salvar de nós mesmos. Bobagens de ministros ? Sorriso da Cacá. Excesso de Generais ? Sorriso da Cacá. Excesso de Bolsonaros ? Sorriso da Cacá. Certo anti-intelectualismo em todos os níveis do novo governo, tanto que já se ouviu a frase “quem tem Ql tem medo”? Sorriso da Cacá.

Mas aconteceu o seguinte. A Mangueira começou a desfilar lá pelas quatro da madrugada. Eu comecei a dormir já pelas duas da madrugada Perdi o desfile da Mangueira. Tenho grandes planos para consertar o mundo e, se der certo, o Brasil.

Mas preciso dormir. Já se disse que revolução é idealismo mais tempo. Acho que o idealismo é a revolução com sono. O sono me atrapalhou.

Mas me contaram que a Mangueira abafou e que a Cacá desfilou na frente, Sorrindo.

(Luis Fernando Veríssimo)

FONTE: Principais jornais do país, 07.03.2019

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: